Imagem - Ocemg
Notícias

Sistema Ocemg e cooperativas mineiras marcam presença na 10ª edição da Semana Internacional do Café em BH

22/11/2022
Imagem - Ocemg

“Conectando Pessoas e Negócios” foi o tema da 10ª edição da Semana Internacional do Café (SIC), realizada de 16 a 18 de novembro, no Expominas, em Belo Horizonte. O evento reuniu toda a cadeia produtiva do café brasileiro e possibilitou a troca de conhecimento, oportunidades de negócios, consumo do café e diálogos a respeito dos novos caminhos para a evolução do setor.

O Sistema Ocemg foi patrocinador oficial do evento e marcou presença com um estande que reuniu as cooperativas Coocafé, de Lajinha; Coopfam, de Poço Fundo, e a Central Coocamig, de Varginha, a Cocatrel, de Poço Fundo que expuseram seus produtos durante o evento.

A cerimônia de abertura do evento contou com as participações de representantes do poder público e das principais instituições que atuam no setor cafeeiro, reforçando a importância da SIC, os desafios dos cafeicultores e as novas formas de atuação das instituições ligadas ao setor.

Entre eles, estiveram presentes o presidente do Sistemas Ocemg, Ronaldo Scucato, e  Faemg Senar, Antônio Pitangui de Salvo; os deputados Estadual e Federal, Antônio Carlos Arantes e Emidinho Madeira; o diretor Técnico do Sebrae, João Cruz; a diretora de Pesquisa da Aliança Internacional da Mulheres no Café e WCA, Daniela Baliza; o diretor da Café Editora, Caio Afonso; o diretor Técnico da Confederação da Agricultura e Pecuária CMA, Bruno Lucchi; o presidente da Câmara dos Dirigentes Lojistas CDL-BH, Marcelo de Souza e Silva; e o diretor Executivo do Sicoob Central Cremininas, Elson Justino.

Para o presidente do Sistema Faemg, “a 10ª edição da SIC faz o que todos nós precisamos fazer: conectar o nosso público. Temos que seguir neste caminho de trazer o produtor treinado, que aprendeu a agregar valor ao seu produto e dar visibilidade e espaço a ele”, afirmou.

Já Scucato reforçou o papel estratégico do setor. “Passamos por um momento desagradável de chuvas e granizos, não conseguimos mensurar os estragos, mas cabe às entidades assistir os produtores de café que foram afetados por essa efeméride climática”. Ele também falou da atuação e dos cursos e serviços ofertados pela entidade que buscam a excelência e gestão das cooperativas.

Em seguida, foi realizada a palestra Magna “Projeção econômica macro e micro”, com Eduardo Gianetti, PhD em Economia pela Universidade de Cambridge, Inglaterra. Durante os três dias de evento, os participantes participaram de palestras, premiações, mesas redondas, fóruns, além da experiência sensorial de degustação de vários tipos de cafés.

Diversidade do Café e rede de contatos

O Brasil é o maior produtor de café do mundo, produzindo anualmente cerca de 60 milhões de sacas em quase dois milhões de hectares, por aproximadamente 300 mil cafeicultores.

Deste número, de acordo com a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), Minas Gerais é o maior produtor de café do país, representando 46,4% do total, e é importante a participação das cooperativas nessa cadeia produtiva. Em 2021, de todo o café produzido no país, 27,2% passaram por uma cooperativa mineira, sendo que essa representatividade sobe para 58,5% em relação ao café produzido no Estado de Minas Gerais.

A SIC 2022 mostrou que o café brasileiro está na diversidade de cada região e Minas Gerais simboliza bem esta pluralidade. Para mostrar isto, as cooperativas do setor cafeeiro estiveram bem representadas durante a Feira Internacional no estande do Sistema Ocemg, que reuniu as cooperativas, Coocafé, Coopfam, Cocatrel e a Central Coocamig. O espaço foi visitado pela subsecretária de Promoção de Investimentos e Cadeias Produtivas da Sede/MG, Kathleen Garcia, pelo embaixador do Vietnã no Brasil, Ngo Cuan Ty; pelo governador Romeu Zema e pelo deputado Estadual Antônio Carlos Arantes.

Reforçando a prosperidade do agronegócio em Minas Gerais, a subsecretária frisou que “a SIC é uma oportunidade de mostrar Minas Gerais e aumentar o número de negócios. O governo atual tem um apetite para negócios e é de sua natureza a busca por criar condições para desenvolver um ambiente que seja favorável para os cafeicultores”.

Para o presidente da Cooxupé, Carlos Augusto, “a feira consolida a relevância de toda a cadeia do café, destacando a sua importância e criando oportunidades de negócios”, comentou.

Já para Leonardo de Melo Brandão, vice-presidente da Coocamig, “a Feira do Café é de suma importância para a cafeicultura e para as regiões produtoras, principalmente porque ela vai agregar para as cooperativas e, por consequência, trará para os produtores boas possibilidades”, frisou.

Imagem - Ocemg

Baixe o Aplicativo do
Sistema Ocemg

Disponível para:
Imagem - Ocemg